Constituição de 88 encorajou corporativismo, diz Gilmar Mendes



A Constituição de 1988 trouxe grandes avanços ao país, mas também algumas mazelas. Uma das principais foi o corporativismo de setores do Estado, impulsionado pela autonomia que o texto constitucional estabeleceu para os mais variados agentes e entidades.

Essa é a opinião do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que abriu a programação do evento que ocorre em São Paulo nesta segunda-feira (17/9) para debater os 30 anos da Constituição. Organizado pela ConJur, o evento debate os rumos da Administração Pública, Justiça, Economia e Direitos Fundamentais após 30 anos da lei maior ter entrado em vigor.

“A Constituição trouxe grande autonomia financeira e administrativa para vários setores do Estado. O resultado acabou sendo muito negativo, pois isso deu força para o crescimento dos interesses corporativos. Aposentadoria com 30 anos de trabalho, férias em dobro e privilégios dos mais variados. Este é um dos grandes problemas que nosso país enfrenta”, afirmou Gilmar.
Fonte: Consultor Jurídico, em 17/09/2018
Compartilhe

Todas as notícias e artigos publicados são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo a opinião do Portal do Servidor Federal.


Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.
Notícia anterior
Próxima notícia