Ex-chefe do INSS terá que devolver R$ 111 mil por fraudes na concessão de benefícios



Um ex-servidor público do INSS, que era chefe de uma agência da Previdência Social em Magé, no Estado do Rio, terá que devolver R$ 111 mil aos cofres públicos. O ex-funcionário foi condenado por pertencer a uma quadrilha especializada em fraudar benefícios.

Segundo a Advocacia-Geral da União (AGU) — que atuou no caso por meio da Procuradoria Regional-Federal da 2ª Região (PRF2) —, o então chefe da agência utilizava sua senha de gestor para alterar dados cadastrais no sistema do INSS, utilizando documentos falsos ou furtados.

Os dados irregulares eram inseridos no Sistema de Acertos dos Recolhimentos de Contribuintes Individuais (SARCI), responsável pela arrecadação de contribuições de trabalhadores autônomos.

A partir daí, benefícios irregulares eram concedidos, sem conhecimentos dos segurados (nos casos em que a documentação usada na fraude era verdadeira), e os valores sacados acabavam divididos entre os integrantes do esquema fraudulento.

“A fraude era tamanha que todo o benefício era recebido indevidamente por pessoa estranha. Não há que se falar em ‘consumidor’ de fraude, porque o segurado sequer sabia”, esclareceu a Procuradoria Regional-Federal da 2ª Região (PRF2), unidade da AGU que atuou no caso.

Ainda de acordo com a AGU, o ex-servidor já foi condenado a três anos e seis meses de prisão.
Fonte: Jornal Extra, em 08/06/2018
Compartilhe

Todas as notícias e artigos publicados são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo a opinião do Portal do Servidor Federal.


Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.
Notícia anterior
Próxima notícia