Servidor que optar pela Funpresp poderá escolher 4 perfis de investimentos



A Fundação de Previdência Complementar do Serviço Público Federal (Funpresp) vai criar quatro perfis de investimentos para que o próprio servidor possa escolher a modalidade que prefere. O investidor mais agressivo, por exemplo, poderá optar por uma carteira composta em até 40% por ações. A política atual limita esses investimentos a 20% do total. “A ideia é indicar mais pertencimento e engajamento, o sentimento de que essa previdência é feita para o servidor”, explicou o presidente da fundação, Ricardo Pena, em entrevista ao programa CB.Poder, uma parceria entre o Correio Braziliense e a TV Brasília.

Os fundos de previdência costumam aplicar a maior parte dos recursos no mercado de juros para construir o patrimônio que deve assegurar a renda dos participantes na aposentadoria. No momento, porém, as taxas estão no nível mais baixo da história, com a Selic podendo chegar a 6,25% ao ano. Diversificando o portfólio, investindo em renda variável,a Funpresp quer aumentar a rentabilidade e garantir um valor adequado de benefícios, tornando o fundo mais atrativo para os servidores.


Vale a pena mudar de regime previdenciário?

O funcionário que entrou no serviço público antes de fevereiro de 2013 tem até julho para aderir à Funpresp. Pena observa que, para saber se a adesão vale a pena, é preciso considerar, entre outras questões, o tempo de serviço. “Depende do tempo que o servidor tem de acumulação. Para quem é jovem e ainda tem muito tempo, certamente vale a pena. Quem tem muito tempo, precisa avaliar vantagens e desvantagens. Para quem está perto de se aposentar, com certeza não vale a pena”, apontou.

A possibilidade de corrupção e rombos são fantasmas que perseguem os fundos e podem afastar os investidores. De acordo com Pena, no entanto, a transparência é um pilar, tudo está no site, e a fiscalização dos membros das 120 carreiras representadas garante que todas as informações estejam às claras. “Nós licitamos tudo, banco, consultoria e escritório de advocacia. O servidor vai tomar conta de sua previdência”, garantiu.

A possível aprovação da reforma da previdência é bem-vista. Um dos motivos é que significaria 20% a mais no valor do benefício, por acrescentar cinco anos de contribuição. “Para o plano da Funpresp, isso ajudaria. Vai ter uma reforma e temos que entender que ela se impõe, seja pela necessidade fiscal, seja pela demografia e, nos próximos 10 anos, com certeza vai ter”, disse Pena.
Fonte: Correio Braziliense, em 16/05/2018
Compartilhe

Todas as notícias e artigos publicados são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo a opinião do Portal do Servidor Federal.


Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.
Notícia anterior
Próxima notícia