'Cresceu muito a probabilidade' de aprovar reforma da Previdência, diz ministro


O ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta terça-feira (5) que “cresceu muito a probabilidade” de o governo aprovar a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados. Segundo o ministro, é possível concluir a votação da proposta em dois turnos ainda em dezembro.

“Cresceu muito a probabilidade de a gente aprovar, cresceu muito. Nós estamos avaliando, é claro que não se tem facilidade, mas cresceu muito”, disse o ministro a jornalistas no Palácio do Planalto.

Padilha acompanhou a reunião entre o presidente Michel Temer e o presidente da Bolívia, Evo Morales. Depois do encontro, ele fez uma avaliação sobre o cenário para votação da reforma.

Padilha manifestou a expectativa de que sete partidos que apoiam Temer no Congresso Nacional fechem questão para que os deputados votem a favor das mudanças previdenciárias.

Quando uma sigla fecha questão em torno de um tema, o parlamentar que não votar de acordo com a orientação partidária fica sujeito a punições.

Conforme o ministro, o PMDB deve fechar questão nos próximos dias. A expectativa dele é que a iniciativa puxe o apoio também do PSDB, que deve formalizar a saída da base no próximo fim de semana.

“Se os sete [partidos] fecharem questão, seguramente nós teremos do PSDB uma posição também favorável”, declarou o ministro, que não citou quais seriam as 7 legendas.

Segundo apurou o G1, os partidos aos quais Padilha se referiu são: PMDB, PTB, PP, PSD, PR, PRB e DEM.

Por se tratar de uma emenda à Constituição, o texto exige os votos de ao menos 308 dos 513 deputados.

O ministro da Casa Civil teve reunião na manhã desta terça com Temer e líderes da base do governo para discutir a situação da reforma. Ele afirmou que ainda não foram feitos mapas com os votos dos deputados para monitorar o número atualmente favorável ao texto.

Na entrevista, Padilha não arriscou placar e informou que nesta quarta (6) o Temer deve reunir líderes e ministros para mais uma reunião sobre o tema.

Padilha destacou que é “possível” aprovar a reforma na Câmara ainda em 2017, deixando a análise do Senado para o próximo ano.

“É possível a aprovação na Câmara este ano, mas neste momento é impossível, pelo cronograma que está pré-estabelecido no Senado, a aprovação em dois turnos no Senado”, disse.

Fonte: G1, em 05/12/2017

Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião do Portal do Servidor Federal.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Outras notícias em destaque: