Servidores federais planejam luta frente ao ajuste fiscal; greve geral é uma das opções



O anúncio das medidas que visam ao ajuste fiscal do governo federal não caiu bem entre os servidores federais. Hoje, uma reunião entre os líderes do Fórum Nacional de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) vai decidir sobre as ações tomadas contra o adiamento do pagamento de reajustes previstos para os próximos dois anos, além do aumento da contribuição do funcionalismo para a Previdência, de 11% para 14%.

Segundo o presidente do Fonacate, Rudinei Marques, o serviço público tem três linhas de atuação: “Nós vamos lutar via parte política, conversando com deputados e mostrando o absurdo dessas ações. Pela linha jurídica, vamos questioná-las via Judiciário. Haverá ainda a movimentação nas ruas. Existe a possibilidade de greve geral”, disse Marques.

Fonte: Jornal Extra, em 01/11/2017
Compartilhe
Notícia anterior
Próxima notícia