Enquanto arrocha Judiciário/MPU, governo mantém 100 mil cargos e funções de confiança

O Judiciário e MPU estão à mercê de cortes orçamentários, que trazem reflexos terríveis, como a redução da Justiça Eleitoral, o enfraquecimento da Justiça Trabalhista (que tem sido vítima de retaliação por conta de sua atuação isenta em processos trabalhistas), o arrocho histórico ao Ministério Público. Mais de 900 zonas eleitorais em cidades do interior e 72 zonas eleitorais situadas nas capitais dos estados correm sério risco de extinção.

Em geral, Judiciário e MPU têm sofrido com a falta de autonomia financeira, sendo reféns das tesouradas do Executivo. Enquanto isso, o Governo Temer mantém 100 mil cargos, funções de confiança e gratificações por mera conveniência política.


O Sindjus-DF defende o concurso público como via legítima para contratações na Administração Pública, bem como investimentos contínuos no serviço público, em matéria de remunerações justas, capacitação, condições adequadas de trabalho e qualidade de vida.

Os servidores públicos não podem pagar a conta de um governo que insiste na velha prática de lotear cargos em troca de apoio. Estamos de olho!

Fonte: Sindjus-DF, em 20/07/2017

Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião do Portal do Servidor Federal.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Outras notícias em destaque: