Manifestantes invadem os ministérios da Integração Nacional e da Agricultura

A área entre os ministérios da Justiça, dos Transportes e de Minas e Energia virou um campo de batalha na Esplanada dos Ministérios, com confronto entre a Polícia Militar e manifestantes, que atearam fogo ao menos no prédio do Ministério da Agricultura.

Os prédios do Ministério de Minas e Energia, do Planejamento, da Fazenda, do Turismo e o Museu da República, que ficam na Esplanada, foram depredados.

O presidente Michel Temer autorizou a autação das Forças Armadas na Esplanada dos Ministérios.

A Tropa de Choque da PM foi também acionada e entrou na sede do Ministério da Agricultura. O fogo atingiu ao menos o auditório onde ocorrem as entrevistas do ministro Blairo Maggi (PP-MS). Quadros da galeria de fotos de ex-ministros foram destruídos.

A Casa Civil da Presidência da República determinou a liberação de todos os funcionários que trabalham na Esplanada. Os prédios foram esvaziados.


Início do tumulto

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal divulgou um boletim informando que quatro pessoas foram detidas pela polícia na manifestação que reúne cerca de 35 mil pessoas, segundo estimativas da Polícia Militar. De acordo com a Secretaria, o tumulto começou quando manifestantes tentaram invadir "o perímetro de segurança restrito previsto no Protocolo Integrado Tático (PrTI), mas foram contidos pela Polícia Militar, que usou progressivamente a força".

As detenções, ainda segundo a secretaria, foram por porte de entorpecentes e porte de arma branca. Os quatro foram encaminhados ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).

A polícia soltou bombas contra os manifestantes, que participavam da marcha das centrais sindicais. A jornalista Gisele Oliveira, da TV Brasil, foi levada a um hospital com estilhaços de bombas na perna. Há também informações sobre um outro jornalista atingido no pé. O boletim policial informa que um dos manifestantes "ao tentar atingir um policial militar com um rojão, teve ferimento na mão devido à explosão". O ferido foi socorrido por outros manifestantes. O Corpo de Bombeiros fez até há pouco dois atendimentos, entre eles um policial.


Ministério da Fazenda

A Força Nacional de Segurança deslocou cerca de 400 homens para proteger o Ministério da Fazenda. A atuação da Força Nacional é requerida pela Secretaria de Segurança Pública da unidade federativa ao ministério da Justiça.

O prédio recebeu reforço na segurança depois que manifestantes tentaram invadir o local, quebrando vidros com paus e mastros de bandeiras. A área próxima à Fazenda agora está mais tranquila.


Oposição toma Mesa Diretora

Deputados da oposição subiram na Mesa Diretora do plenário da Câmara para pedir o encerramento da sessão. Opositores protestam contra a reação da polícia à manifestação. Parlamentares do PT, PDT, PSOL e Rede e ficaram ao lado do 2º vice-presidente da Câmara, deputado André Fufuca (PP-MA), que preside a sessão. Opositores gritam palavras de ordem contra o governo como "Fora Temer" e "O povo quer votar diretas já".

Deputados da base aliada reagiram com protesto contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Lula na cadeia", gritaram parlamentares da base. "Chama a segurança para tirar esses arruaceiros daí", disse o líder do PP, Arthur Lira (AL). Os deputados estavam em uma sessão de debates, mas está prevista na pauta da Casa para esta quarta a votação de MPs.

Fonte: Portal R7, em 24/05/2017

Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião do Portal do Servidor Federal.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Outras notícias em destaque: