Notícias Artigos Apostilas para concursos Cursos de capacitação Advogado online Forum Permutas Contato

19 abril 2017

Alvos de corrupção e de má gestão, acumulando seguidos prejuízos, as estatais podem ser proibidas de darem reajustes a seus empregados neste ano. A discussão sobre esse tema está quente no Ministério do Planejamento.

O grupo mais moderado propõe reajuste salarial inferior à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nos últimos 12 meses, o indicador cravou alta de 4,57%.


Outra ala de técnicos propõe reajuste zero. Isso mesmo, nada de aumento. A alegação é de que as estatais estão em situação calamitosa, acumulando perdas ano após ano. Os Correios, por exemplo, acumulam prejuízos de R$ 4 bilhões em dois anos. É muito.

A pressão, porém, será grande sobre o Planejamento. As estatais estão loteadas por indicações políticas. Os gestores indicados por representantes da base aliada não querem assumir o desgaste de anunciar que nenhum dos empregados das estatais terá aumento. Eles pregam que pelo menos a reposição da inflação seja concedida.


Problemão

Para o Planejamento, é preciso dar bons exemplos na administração pública. As estatais se tornaram um problemão porque viraram alvos fáceis para a corrupção. Enquanto as empresas não entrarem nos eixos, os reajustes salarias devem ser contidos ou mesmo suspensos.

Técnicos do governo sabem que a retaliação será enorme. Os sindicatos de empregados de estatais são muito organizados, sobretudo no caso da Petrobras, que está há três anos operando no vermelho, depois de ter o caixa devastado pela corrupção, como revela a Operação Lava-Jato.

Os petroleiros não abrem mão de aumentos todos os anos. O mesmo prevalece entre os bancários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Portanto, não será fácil que a proposta do Planejamento siga adiante. Será preciso muito pulso firme do ministro Dyogo de Oliveira, agora fortalecido ao ser efetivado no cargo.

Fonte: Correio Brazilense, em 18/04/2017
Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Nosso aplicativo

Nosso aplicativo
Use um leitor de QR Code para instalar no seu celular

Siga o Portal nas redes sociais

Cursos de capacitação online