Notícias Artigos Apostilas para concursos Cursos de capacitação Advogado online Forum Permutas Contato

07 dezembro 2016

O presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta quarta-feira (7) que "seguramente" a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos pelos próximos 20 anos vai ser votada em segundo turno no plenário do Senado Federal na próxima terça (13), como prevê acordo entre os líderes da Casa.

Temer deu a declaração ao ser questionado por jornalistas, ao final de um evento no Palácio do Planalto, sobre se ele acreditava que os senadores manteriam a data de votação previamente agendada. Ao confirmar que estava convencido de que cronograma seria cumprido, o presidente ainda fez um gesto de positivo com o polegar antes de entrar em um elevador.

O impasse em torno do afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado acendeu o sinal de alerta no Palácio do Planalto.

Depois que o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou afastar Renan do comando do Senado, o núcleo próximo a Temer ficou com receio de que a mudança na chefia do Senado pudesse comprometer a votação final da PEC do teto de gastos, na medida em que o substituto do peemedebista seria o senador Jorge Viana, do PT do Acre.


Nesta terça-feira (6), Temer se reuniu com Renan e o líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), para tratar das votações no Legislativo.

Segundo assessores do Planalto, os dois senadores garantiram ao presidente da República que, independentemente de quem estiver à frente do Senado, o cronograma de votação do segundo turno da PEC do teto de gastos será mantido para o dia 13. A ideia dos governistas é que a proposta seja promulgada na próxima quinta (15), antes do início do recesso parlamentar.


Promoção de oficiais

Na manhã desta quarta, Michel Temer promoveu, em um evento no Palácio do Planalto, 12 oficiais-generais: 10 da Marinha, 1 do Exército e outro da Aeronáutica.

A solenidade contou também com a presença da primeira-dama Marcela Temer e dos ministros Raul Jungmann (Defesa) e Sergio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional). Também acompanharam a cerimônia os comandantes das Forças Armadas: Eduardo Villas Bôas (Exército), Eduardo Leal Ferreira (Marinha) e Nivaldo Rossato (Aeronáutica).

Durante seu discurso na solenidade, Temer disse que a dedicação com que as Forças Armadas servem ao país é referência ao estado e à própria sociedade brasileira.

“A ideia da hierarquia, liturgia, deve ser exemplo para toda a administração pública e nossa formação social”, enfatizou.

O peemedebista também ressaltou no evento a importância dos militares na defesa nacional e o papel social em áreas de difícil acesso, como no interior do sertão.

“É importante porque o Brasil tem vastidão territorial, com riquezas naturais e humanas. Salvaguardar nossos recursos e proteger nossa gente. É esse trabalho constante. Sabemos que às vezes em condições adversas. Às vezes a única presença do estado, representado pelas forças armadas. Às vezes até como função social, como a distribuição de água para milhões de nordestinos”, acrescentou.
Fonte: Portal G1, em 07/12/2016
Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Nosso aplicativo

Nosso aplicativo
Use um leitor de QR Code para instalar no seu celular

Siga o Portal nas redes sociais

Cursos de capacitação online