Servidores ameaçam tomar a Câmara e detonar uma greve geral se PLP 257 for aprovado


Compartilhe esta publicação:

Um grupo de 150 servidores públicos federais ameaça acampar nos corredores da Câmara dos Deputados até a votação do Projeto de Lei Complementar nº. 257/2016, prevista para essa terça-feira (2). Os manifestantes querem a rejeição de itens que impõem severos prejuízos para o funcionalismo, tais como proposta de congelamento dos gastos com servidores por até 20 anos e o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%.

A matéria chegou a ser incluída na Ordem do Dia desta segunda (1º) e deveria ser debatida pelo Plenário, mas a votação não acontecerá porque até o momento os parlamentares não conhecem o texto final da proposta do governo. “Estamos à espera de um substitutivo prometido pelo governo, que ninguém ainda viu. O colégio de líderes decidiu que não vamos votar uma matéria que não conhecemos”, afirmou o líder do PMB, deputado Weliton Prado (MG).

O plano dos servidores era acompanhar os debates e cobrar dos deputados uma postura contrária à matéria. Contudo, por volta das 16h, a Câmara decidiu bloquear os acessos a casa, impedindo que mais manifestantes entrassem no recinto. Quem já havia entrado também foi impossibilitado de circular livremente pela casa, pois diversos acessos foram bloqueados.

“Estamos sitiados dentro da Casa do Povo”, afirmou o presidente do SinpecPF (que representa os administrativos da Polícia Federal), Éder Fernando da Silva. Segundo o sindicalista, é grande a disposição do grupo de aproximadamente 150 pessoas de permanecer na Câmara ao longo de toda a noite. “Não podemos correr o risco de bloquearem o acesso novamente amanhã nos impedindo de lutar pelos nossos direitos”, ponderou.

Outra ameaça recorrente era a de deflagração de greve geral caso a proposta seja aprovada. “Temos representantes de diversos segmentos e não vamos aceitar pagar pela má gestão dos governantes”, protestou Flávio Werneck, vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), que representa os agentes, escrivães e papiloscopistas.

Fonte: Correio Braziliense, em 01/08/2016

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.