Militares entrarão na reforma da Previdência em uma segunda fase


Compartilhe esta publicação:

Os militares serão poupados da proposta de reforma da Previdência que o governo pretende enviar ao Congresso dias depois da votação final do impeachment definitivo de Dilma Rousseff. Mas não ficarão de fora da discussão seguinte, segundo fontes do governo. A ideia é, na primeira etapa, focar apenas no que depende de alteração constitucional. É o caso, sobretudo, da idade mínima e da progressiva equivalência de contribuição de homens e mulheres.

Na etapa seguinte, com as alterações já inscritas na Constituição, será a hora de discutir projetos de lei sobre o tema, tanto para regulamentar o que for alterado quando para tratar de outros itens. É aí que vão entrar os militares. Uma das ideias em avaliação é que eles sejam obrigados a permanecer na ativa durante 35 anos em vez de 30 anos, e só então passariam à reserva. Como o tempo começa a contar na academia militar, antes dos 50 vários oficiais recebem benefícios enquanto descansam.

Fonte: Correio Braziliense, em 11/08/2016

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.