Sinait pede audiência urgente ao Ministro e Secretário do Planejamento para tratar do cumprimento dos Acordos

O Sinait encaminhou carta ao ministro do Planejamento Dyogo Oliveira, em que reitera solicitação de audiência emergencial para tratar da pauta remuneratória da categoria, constante no Termo de Acordo nº 4, firmado no dia 24 de março, entre o Ministério do Planejamento, o então Ministério do Trabalho e Previdência Social e o Sinait.

O presidente do Sinait justifica a urgência na solicitação da audiência, lembrando que até o momento, o acordo não foi cumprido.


Carta à SEGRT

Também foi encaminhada carta ao secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho no Serviço Público – SEGRT, Augusto Akira Chiba, que assumiu a Secretaria esta semana. Na carta, o Sinait também solicita audiência em caráter emergencial, para tratar dos Termos de Acordo referentes às pautas remuneratória e não remuneratória da categoria.

Os acordos foram assinados em 24 e 30 de março deste ano, respectivamente. Apesar de terem prazos estipulados durante a negociação, os Acordos ainda não foram cumpridos.

Assembleia Geral Nacional realizada nesta quarta e quinta-feira delibera sobre a retomada da mobilização. “Até o momento não há avanço e garantia de que o governo irá cumprir os Acordos firmados. Diante deste cenário, consultamos a categoria sobre a retomada da paralisação”, explicou o presidente do Sinait, Carlos Silva.

Clique aqui e leia a carta enviada ao Ministro do Planejamento.

Clique aqui e leia a carta enviada ao Secretário do Planejamento.
Fonte: Sinait, em 01/07/2016

Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião do Portal do Servidor Federal.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Outras notícias em destaque: