Funcionalismo público promete radicalizar se reajuste não vier


Compartilhe esta publicação:

A impaciência tomou conta do funcionalismo público diante da demora para a aprovação dos reajustes acertados ainda no governo de Dilma Rousseff e sancionados por Michel Temer. Uma onda de greves está se formando e pode causar sérios transtornos ao governo e, sobretudo, à população.

Hoje, os técnicos do Banco Central cruzaram os braços. A paralisação durará 48 hora. Na quinta-feira, será a vez de os funcionários da Receita Federal suspenderem as atividades. No caso deles, o projeto prevendo reajustes sequer foi encaminhado ao Congresso.

Também está azedo o clima entre os analistas do BC, que já expressaram o descontentamento em relação à demora do reajuste. A gritaria já encontrou eco entre advogados federais, policiais federais e servidores da Controladoria-Geral da União. Há o risco de o chamado carreirão, que engloba o baixo clero do funcionalismo, embarcar na onda.

Os projetos encaminhados por Temer e aprovados pela Câmara ainda estão tramitando no Senado, que fará sua última votação, antes do recessão branco, na quarta-feira. Os aumentos dos servidores ainda precisam passar pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para ir a plenário. Como houve mudanças em vários projetos, eles terão que voltar à Câmara.

O governo, assustado com a repercussão da aprovação dos reajustes do servidores na Câmara, está segurando o envio de outros projetos ao Congresso, como os que garantem aumentos aos funcionários da Receita, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal.

Temer disse que avalizou os reajustes aprovados porque não queria confusão com o funcionalismo, sempre disposto a parar a máquina pública. Pois os problemas que ele queria evitar estão se agigantando e prontos para invadir o Palácio do Planalto. Não será fácil a vida do presidente interino nos próximos dias.

Fonte: Correio Braziliense, em 11/07/2016

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.