Esquema de desvio de recursos em consignado pode ser muito maior


O esquema de desvio de recursos em contratos de crédito consignado a servidores, que levou à prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, pode ser muito maior.

Diversas prefeituras e governos estaduais usam serviços de empresas semelhantes à Consist, pivô da fraude no Ministério do Planejamento.

Como são remuneradas pelos bancos para gerenciar os empréstimos vinculados aos salários, não é preciso licitação.

Quem conhece o setor diz que a relação de prefeitos e governadores com essas empresas não é nada republicana. Vem aí novo foco de investigação.
Fonte: Revista Veja, em 25/06/2016
Compartilhe
Notícia anterior
Próxima notícia