Negociações salariais não encaminhadas ao Congresso ainda serão avaliadas

Os reajustes salariais de sete carreiras que fecharam acordo com o governo da presidente afastada Dilma Rousseff serão revistos. O ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB), avisou que a pasta precisa avaliar as negociações, ponderando a viabilidade orçamentária e a realidade das categorias. Os acertos combinados e encaminhados ao Congresso Nacional de outras categorias serão cumpridos.

Ontem, o governo encaminhou sete projetos de reajuste. Estes, não foram ainda analisados pela nova equipe econômica do governo. Portanto, uma posição sobre esses novos projetos serão dados posteriormente. Claro, se levando em conta a realidade das carreiras, as negociações que foram feitas, mas também levando-se em conta se foi efetivamente contabilizado o que foi pactuado com o que está previsto na proposta orçamentária , afirmou.

Das 11 carreiras que faltavam concluir negociações, sete acertaram os ajustes salariais na véspera do afastamento de Dilma. A Secretaria de gestão de Pessoas e Relações de Trabalho (SEGRT) do Planejamento assinou o termo com: os analistas de infraestrutura; peritos federais agrários do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); agentes, escrivães, papiloscopistas, delegados e peritos da Polícia Federal; servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit); e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Fonte: Correio Braziliense, em 13/05/2016

Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião do Portal do Servidor Federal.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Clique aqui e faça cursos de capacitação 100% online com certificado, a partir de R$ 20,00.

Baixe gratuitamente nosso aplicativo, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Outras notícias em destaque: