Fonasef aumenta pressão no parlamento contra aprovação do PLP 257


Compartilhe esta publicação:

O Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef), que o Sinait integra, reuniu-se de maneira ampliada, com a participação de centrais e sindicatos das três esferas: municipal, estadual e federal, e deliberou pelo aumento da pressão contra a aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 257/2016, que ataca os direitos dos trabalhadores dos setores público e privado, nos estados e na Câmara dos Deputados. A reunião foi nesta terça-feira, 17 de maio, na sede do Andes-SN, em Brasília (DF).

Os representantes sindicais decidiram aumentar a pressão sobre os parlamentares nos estados e também na Câmara dos Deputados denunciando os prejuízos para todos no PLP 257. Além disso, ponderaram que a união das categorias é fundamental frente à situação atual que demonstra o agravamento da crise política e econômica.

Para os sindicalistas, vários projetos perigosos contra o trabalhador e servidores públicos tramitam no Congresso Nacional e a instabilidade se amplia nos segmentos com ameaças do governo atual à Previdência Social e ao servidor público com a extinção de alguns ministérios. “Temos muitas frentes de luta e precisamos nos unir para conseguirmos avançar nossas propostas e ganhar espaço neste momento”.

Na ocasião, eles lembraram o lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social no dia 31 de maio no Senado Federal. “É uma ideia importante que precisa contar com o apoio de todo o movimento sindical”.

O Fórum ainda atuará na aprovação do PLN 01/2016, que autoriza a apresentação dos projetos objetos de acordos firmados na Campanha Salarial 2015/2016.

De acordo com o diretor de Assuntos Jurídicos do Sinait, Marco Aurélio Gonsalves, a entidade é contra a aprovação do PLP 257. “Estamos conscientizando a base do perigo que o PLP representa para todos”. Ele explicou ainda que a situação é muito tensa para a categoria, que saiu de uma greve recentemente depois de uma longa negociação. “O Ministério mudou novamente e estão exigindo a reposição dos dias de greve sem o fechamento efetivo do acordo na Câmara dos Deputados”.

Para Marco Aurélio, os desafios dos Auditores-Fiscais do Trabalho são muitos. “O debate da Diretoria Executiva Nacional (DEN) é permanente e a entidade está atenta aos trâmites das propostas no Congresso”. Além disso, “temos o II Congresso Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (II Conait) programado para junho em que trataremos deste e de outros assuntos com a categoria”.

Fonte: Sinait, em 17/05/2016

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.