Coordenador da Fenajufe cobra posição do STF sobre reajuste, frente ao impeachment na pauta do Congresso


Compartilhe esta publicação:

Em reunião com o Diretor Geral do Supremo Tribunal Federal (STF), Amarildo Vieira, o coordenador da Fenajufe, Cledo Oliveira, questionou qual será a linha de ação do Tribunal quanto ao reajuste dos servidores, em função da abertura do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff (PT). A reunião aconteceu nesta quarta-feira (20/4), no gabinete do DG no STF.

Na avaliação de Amarildo Vieira, as dificuldades aumentaram muito. Ele conta que o cenário tratado com os líderes num dia se altera completamente no dia seguinte. Segundo ele, a intenção do STF é continuar trabalhando com os líderes partidários, principalmente com o deputado Rogério Rosso, do Distrito Federal, líder do PSD, para aprovar a urgência e o PL 2648/2015 na Câmara dos Deputados, antes mesmo dos desdobramentos no Senado Federal.

Ainda na reunião o coordenador Cledo Oliveira comunicou ao DG a realização do Congresso Nacional da Fenajufe, o 9º Congrejufe, já na próxima semana e salientando que após o fim da tramitação do projeto de reajuste, a nova direção – que será eleita durante o Congrejufe – poderá cobrar do Supremo o que foi acordado com o ministro Ricardo Lewandowski, sobre a instalação de Mesa de Negociação para tratar da pauta dos servidores. O Diretor Geral afirmou que o compromisso do presidente do STF é criar essa mesa tão logo se encerre a questão do PL, para tratar de temas como a saúde dos servidores, do projeto específico dos Técnicos e discussão de carreira entre outros.

Para o coordenador Cledo Oliveira o alerta sobre a deterioração do cenário político e seus impactos sobre o 2648 já havia sido tema de alerta da Fenajufe no início do ano. “Quem acompanha a questão no Congresso Nacional tem visto a Federação, ao longo do período, lutar pela votação de urgência do projeto. No início do ano a gente já alertava que a pauta do Congresso era o impeachment da presidente Dilma. Infelizmente a pauta continua a mesma. Todas as outras questões estão paradas, inclusive os projetos do PJU e MPU, apesar de estarem com o orçamento aprovado. O país parou.”, avalia. E complementa: “A guerra estabelecida principalmente entre o Executivo e o Legislativo não deixa nosso projeto avançar”.

Mas apesar da complicação cada vez maior do cenário político, o coordenador garante que a Fenajufe continuará a perseguir o objetivo maior dessa campanha, que é a melhoria salarial para os servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União.

Fonte: Fenajufe, em 20/04/2016

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.