Líder do governo muda o tom e anuncia acordo para votar PL 2648


Compartilhe esta publicação:

O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), mudou o tom da conversa com relação ao projeto salarial referente aos servidores do Judiciário Federal e confirmou a inclusão do PL 2648/2016 na pauta de votação do plenário na semana de 4 a 8 de abril.

A informação foi dada aos servidores Adilson Rodrigues e Eugênia Lacerda, coordenadores da federação nacional (Fenajufe) e integrantes da Comissão de Negociação, e Antonio Melquíades, o Melqui, dirigente do sindicato de São Paulo (Sintrajud), na segunda-feira (28).

O parlamentar vinha se esquivando do compromisso de defender a proposta nas reuniões de líderes, alegando já ter muitos embates para travar dado o momento político pelo qual passa o Congresso Nacional e o país.

Os servidores insistiam para que ele articulasse a votação, assim como as melhorias na proposta defendidas pela categoria, já que é o líder do governo naquela casa. A confirmação de que houve acordo para votar o projeto veio poucos dias após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), dizer a servidores que asseguraria a votação caso o governo assim encaminhasse.


Questão dos 13,23%

O dirigente da Fenajufe aproveitou a receptividade do líder governista para reiterar a reivindicação aprovada pela categoria para que o governo abra mão do item que prevê a compensação dos valores referentes aos 13,23%. “Insistimos na importância de tratativas dele junto a áreas do governo para garantir supressão do artigo 6º e manter direito dos servidores aos 13,23%, que vem sendo assegurado por decisões judiciais e administrativas que já alcançam mais da metade da categoria em diferentes tribunais e instâncias”, relatou Adilson.

Embora a definição sobre pautar o PL 2648 na próxima semana direto no plenário seja um avanço, o clima político, a luta até o último segundo pelas reivindicações dos servidores referentes ao projeto e as iniciativas do governo a favor de propostas que atacam o funcionalismo público deixam os dirigentes sindicais em alerta. Nada está assegurado e a pressão não só para que haja melhorias na proposta, como para que o projeto seja encaminhado sem novos rebaixamentos, deve continuar.


Manifestações

Sindicatos dos servidores do Judiciário Federal e do MPU estão convocando as suas bases para participar das manifestações previstas para o dia 1º de abril, em várias cidades do país. Nos atos programados, haverá a defesa dos direitos dos trabalhadores e serão denunciados os ‘acordos’ envolvendo governo e a oposição encabeçada pelo PSDB e o DEM, assim como o PMDB, em torno de projetos como a reforma fiscal, que pode levar ao congelamento dos salários do funcionalismo por tempo indeterminado e à atrofia dos serviços públicos.

http://www.sintrajud.org.br/conteudo/detalhe_noticia.php?cod=4501

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.