Greve dos peritos do INSS segue em 2016


Compartilhe esta publicação:

Os médicos peritos do INSS decidiram, nesta terça-feira, entrar 2016 de braços cruzados, aumentando a penúria de segurados que precisam fazer perícias médicas. A greve, que já dura 102 dias, é consequência de impasse entre a categoria e o governo. A proposta de acordo, apresentada pelo Ministério do Planejamento, foi recusada por 94% dos participantes de consulta online promovida pela Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP) e descartada em reunião com representantes do governo.

Enquanto não acabar a queda de braço, a fila para fazer perícia continua a aumentar, já passando de 1 milhão de atendimentos não realizados desde o início da paralisação em 4 de setembro, segundo o INSS. Para o presidente da ANMP, Francisco Cardoso, cabe ao governo atender às reivindicações para o encerramento da greve. Eles pedem a efetivação em lei da carga horária de 30 horas, o fim da terceirização da perícia e a reposição das perdas salariais de 27% divididos em dois anos. O governo, entretanto, havia proposto o reajuste geral dado ao funcionalismo federal de 10,8% em dois anos e a criação de comitê de reestruturação da carreira, mas não tratava da jornada e da terceirização. “Enquanto o governo não atender às reivindicações, continuaremos em greve. Cabe a eles dar solução para nós e à população”, reforçou.

Por meio de nota, o INSS defendeu que está direcionando prioritariamente o atendimento dos peritos que permanecem em atendimento para atender quem não está recebendo benefícios, assim como aqueles que aguardam perícia para retornarem ao trabalho. Apenas 30% do efetivo dos peritos está em atividade, com desconto do ponto das horas não trabalhadas.

A quantidade de atendimentos não realizados é de 1.047.239, além de 730 mil pedidos de concessão estarem represados. O tempo de espera passou de 20 dias para 63 dia.

http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2015-12-16/greve-dos-peritos-do-inss-segue-em-2016.html

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.