>>
Notícias Artigos Apostilas para concursos Cursos de capacitação Advogado online Forum Contato

13 outubro 2015

Os docentes federais em greve das Instituições Federais de Ensino (IFE) aprovaram pela saída unificada da greve nacional entre 13 e 16 de outubro, segundo comunicado (n° 45) divulgado nesta sexta-feira (9) pelo Comando Nacional de Greve (CNG) do ANDES-SN. A greve, que já ultrapassou os 131 dias, é a mais longa da história das instituições. (veja aqui)

Segundo o presidente do ANDES-SN, Paulo Rizzo, os docentes construíram uma greve forte ao longo desse período, mesmo com as dificuldades da atual conjuntura, com o governo federal adotando medidas de ajuste fiscal, retirando direitos dos trabalhadores e apresentando propostas antagônicas ao projeto de educação pública defendido pelo Sindicato Nacional. “Está em curso um processo de medidas de austeridade que afetam a Educação e, no caso, as universidades. A greve – que teve inicio no dia 28 de maio, se impôs como uma necessidade para combater as políticas de cortes no Orçamento e o desmonte das IFE, orquestrado pelo governo federal”, conta.

Além da aprovação da saída unificada da greve, por ampla maioria, as assembleias realizadas nas bases entre 6 a 8 de outubro – respondendo ao Comunicado n° 44 (veja aqui) – rejeitaram a proposta da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (SRT/Mpog) de restruturação das tabelas salariais com o índice de reajuste de 10,8%, parcelado em dois anos (5,5% em agosto de 2016 e 5% em janeiro de 2017). De acordo com Rizzo, o entendimento das assembleias é de que a proposta não recompõe as perdas inflacionárias do período, não considera as perdas salariais passadas, caracteriza-se como uma política de confisco salarial e não responde à pauta específica da greve dos docentes federais. Ele destacou o papel fundamental da unidade entre os servidores públicos federais, construída no Fórum dos SPF, que fez com que o governo recuasse da sua posição inicial de reajuste zero e ainda do reajuste parcelado em quatro anos.

Paulo Rizzo ressalta que a greve deixou evidente, após a campanha “Abre as Contas Reitor (a)!”, a inviabilidade de algumas universidades em concluir o ano letivo. “No último período da greve se aprofundaram as medidas de ajustes, com a suspensão de concursos e abono permanência – o que é muito grave para as universidades, pois faltarão servidores para trabalhar, e o avanço da reforma ministerial do governo, que está associada a atender mais uma vez os interesses grandes empresas educacionais, além dos ataques através do Legislativo, que se aprofundam a retirada de direitos e exigem uma reposta maior da classe trabalhadora”. Durante todo o processo negocial, o governo federal, através do Ministério da Educação, não dialogou com a pauta apresentada pelos docentes. (veja aqui)

O presidente do ANDES-SN explica que o próximo passo é partir para um novo patamar de luta. “Mesmo com a saída unificada da greve nacional, no período de 13 a 16 de outubro, nós continuaremos buscando uma negociação com o governo federal e manteremos a mobilização da categoria. Levaremos ao governo o posicionamento das assembleias, que não aceitaram a proposta apresentada de restruturação das tabelas de 10,8% em dois anos. esta proposta não recompõem as perdas inflacionárias do período, não considera as perdas salariais passadas. Temos disposição em negociar. Tanto é, que já apresentamos, durante a greve, duas cartas com novos elementos para negociação, que foram desconsideradas pelo governo, pois não houve nenhuma reunião até o momento”, afirma.


Dia do Professor

Entre os encaminhamentos do CNG, além da suspensão unificada da greve, está a realização de atos e manifestações nas IFE, no dia 15 de outubro, Dia do Professor, em defesa da Educação Pública. Para o presidente do ANDES-SN, mesmo com a saída da greve, é preciso manter a unidade da categoria docente e a mobilização em defesa da educação pública e a luta contra os ataques aos direitos sociais.
http://grevenasfederais.andes.org.br/2015/10/09/docentes-federais-aprovam-saida-unificada-da-greve-entre-13-e-16-de-outubro/
Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.

Acompanhe também o Portal do Servidor Federal pelo Facebook e pelo Twitter.

Siga o Portal nas redes sociais

Cursos de capacitação online