Congresso adia vetos e governo tem 1ª derrota pós-reforma ministerial


Compartilhe esta publicação:

Foi adiada a sessão do Congresso Nacional desta terça-feira (6) que na qual deveriam ser votados pelo menos seis vetos presidenciais. Entre os vetos que deixaram de ser votados hoje estão os vetos da presidente Dilma Rousseff (PT) a projetos conhecidos como "pauta-bomba", com impacto de pelo menos R$ 54 bilhões nas contas do governo. A sessão foi encerrada por falta de quórum para a deliberação dos vetos. O encerramento da sessão é visto como a primeira derrota do governo após a reforma ministerial anunciada na semana passada. Uma nova sessão foi marcada para esta quarta-feira (7), às 11h30.

Entre os vetos presidenciais que estavam na pauta do Congresso Nacional havia o que impedia o reajuste de até 78% a funcionários do poder Judiciário e o que ampliava as regras do reajuste do salário mínimo aos vencimentos de aposentados da Previdência.

Líderes da oposição argumentam que o baixo quórum na sessão do Congresso é resultado da falta de articulação do governo. "Essa reforma ministerial não resolveu nada. É preciso uma nova reforma ministerial para o governo conseguir quórum", disse o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE).

A sessão chegou a ser suspensa por 30 minutos pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL), para que houvesse tempo de os parlamentares chegarem ao plenário onde a sessão era realizada. No entanto, após meia hora, ainda faltavam pelo menos 60 deputados federais para que a Casa pudesse deliberar sobre as matérias em pauta.

http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2015/10/06/congresso-adia-vetos-e-governo-tem-1-derrota-pos-reforma-ministerial.htm

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.