União já desembolsou mais de meio bilhão com diárias


Compartilhe esta publicação:

O feriado de 7 de setembro emendou com o final de semana neste ano. Se não fosse a crise, muitos brasileiros poderiam viajar e precisariam pagar hotéis e pousadas. Com o ajuste fiscal, a União (Executivo, Legislativo e Judiciário) até diminuiu os gastos com diárias para os funcionários públicos, mas os valores já somaram R$ 553 milhões.

Com esse volume de recursos destinados às diárias dos servidores em viagens a trabalho é possível viver por 216 anos na mais cara suíte do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Com 300 metros quadrados, a “penthouse”, como é conhecida a cobertura do sexto andar, custa cerca de R$ 7 mil por dia e inclui serviços de mordomo.

Como de costume, o Ministério da Justiça lidera o ranking dos órgãos com maiores dispêndios em diárias, com R$ 88,8 milhões. A maior parcela dos gastos foi realizado pela Coordenação de Administração do Departamento da Polícia Federal (R$ 8,9 milhões) e pela Superintendência Regional do Estado do Rio Grande do Sul (R$ 3,6 milhões).

Em seguida, está o Ministério da Defesa, que executou R$ 85,1 milhões. Dentre os gastos destacam-se os valores pagos para viagens internacionais. É o caso da Subdiretoria de Pagamento de Pessoal no Exterior, que já desembolsou R$ 7,1 milhões, e da Comissão do Exército Brasileiro em Washington, nos Estados Unidos, que já arcou com R$ 4,5 milhões em diárias. Além disso, R$ 4,3 milhões foram desembolsados pelo Departamento de Administração Interno da Pasta.

O Ministério da Educação está logo atrás com R$ 72 milhões desembolsados em diárias. O Instituto Nacional de Estatísticas e Pesquisas Educacionais já pagou R$ 5 milhões para hospedagem neste ano. Logo depois estão as universidades federais do Pará (R$ 3,1 milhões), Santa Maria (R$ 1,7 milhão) e Bahia (R$ 1,6 milhão).

O governo federal limitou as despesas com contratação de bens e serviços e com diárias e passagens de órgãos do Poder Executivo para 2015. A medida tem como objetivo adequar os gastos ao contingenciamento orçamentário anunciado pelo governo, o que, por enquanto está dando certo.

Até agosto do ano passado, os gastos haviam sido 32% maiores do que neste ano e já tinham alcançado R$ 730,1 milhões. No Ministério da Justiça, por exemplo, R$ 180 milhões tinham sido desembolsados em diárias. Os ministérios da Fazenda e da Educação estavam logo atrás, com dispêndios de R$ 116,8 milhões e R$ 90,8 milhões, respectivamente.


Passagens

Os gastos da União (Executivo, Legislativo e Judiciário) com passagens aéreas e locomoção também sofreram queda neste ano. Entre janeiro e agosto de 2015, os gastos com esse tipo de despesa alcançaram o valor de R$ 766 milhões. Em igual período de 2014, o montante foi de R$ 858,1 milhões. Isto é, diferença de R$ 92,1 milhões ou 11%. O levantamento do Contas Abertas, relativos ao gastos com passagens, levou em consideração o elemento de despesa 33, rubrica que engloba gastos com bilhetes aéreos, excesso de bagagens, transporte de servidores, pedágio, entre outros. Os valores são correntes.

http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/11883

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.