Comandante confirma reajuste de 25% para militares das Forças Armadas


Compartilhe esta publicação:

O tão esperado reajuste salarial dos 655 mil militares das Forças Armadas ficou definido em 25% escalonados em quatro anos a partir de 2016. O anúncio foi feito pelo comandante do Exército, general Villas Bôas, antes mesmo do ministro da Defesa, Jaques Wagner. A pasta informou que só vai se pronunciar sobre o reajuste após a reunião com os comandantes da três forças, remarcada pela terceira vez — agora para o dia 26 de agosto — para definir como o percentual será distribuído.

“Essa questão de orçamento é tratada concretamente na área do Executivo. O que temos até o momento é o funcionalismo civil. E a definição que houve para os militares, e ainda não anunciada, é o aumento em 25% até 2019”, disse o general, no programa “Pergunte ao Comandante”, produzido pela instituição militar e publicado no YouTube.

O reajuste para os militares é maior do que a proposta apresentada pelo Ministério do Planejamento aos servidores do Executivo de 21,3%, entre 2016 a 2019, conforme a coluna antecipou com exclusividade em 1º de agosto, após entrevistar o ministro Jaques Wagner. O funcionalismo do Executivo rejeitou o percentual e exige avanço na negociações para aumentar o índice. O governo também ofereceu aumento de até 41,7% no mesmo período para o Judiciário, que foi rechaçado .


Abaixo do esperado

O general Villas Bôas afirmou que o reajuste conseguido está em um patamar bem aquém do que os comandantes pleiteavam. “Diante das dificuldades econômicas que o governo está vivendo, não podemos deixar de considerar que o percentual é um ganho, pelo menos em relação ao funcionalismo civil”, disse o comandante.

O índice também foi considerado inferior por Genivaldo da Silva, presidente da Associação dos Militares da Reserva Remunerada, Reformados e Pensionistas das Forças Armadas (Amarp). Ele se mostrou pessimista quanto ao percentual: “Vai ser o pior aumento para as Forças Armadas. Vai dar, em média, 6,25% ao ano em um país que tem inflação chegando a 10%”.


Nova formação

Foi aprovado o Programa de Ética Profissional Militar do Exército Brasileiro a ser inserido nos conteúdos programáticos dos cursos de formação de oficiais e praças e dos programas padrão de instrução militar daqui em diante. A determinação foi assinada pelo Estado-Maior do Exército e publicada ontem no boletim da corporação.


Direitos humanos

De acordo com o estipulado na Estratégia Nacional de Defesa, o Ministério da Defesa aprovou o documento que aponta as bases da formação militar. Nele, terá a ênfase na temática dos direitos humanos e as consequências de infrações e crimes praticados, de caráter permanente e obrigatório, a ser ministrado para todos os níveis hierárquicos.


Mais vagas

Aumentou o número de sargentos que podem fazer o Curso Básico de Manutenção da Aviação do Exército. Agora são 60 alunos, ante os 20 matriculados. A mudança faz parte das alterações da Portaria nº 184-EME, de 2012, feitas pelo Departamento Geral do Pessoal (DGP), o Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx) e o Comando Logístico (COLOG).

Novos critérios

O critério para participar também mudou. Agora, serão selecionados os 3º e 2º Sargentos não possuidores do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) de carreira com qualificação em Material Bélico/Mecânico Auto e Manutenção de Comunicações. Antes eram os da Aviação/Manutenção e 1º e 2º sargentos de Material Bélico e Mecânico de Manutenção de Armamento.

http://blogs.odia.ig.com.br/coluna-do-servidor/2015/08/14/comandante-confirma-reajuste-de-25-para-militares-das-forcas-armadas/

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.