Judiciário: Servidores mostram força da greve e tomam a Paulista


Compartilhe esta publicação:

Os servidores do Judiciário Federal de São Paulo deram mais uma demonstração de força na luta pela sanção do PLC 28/2015. Milhares de servidores tomaram a Avenida Paulista na tarde desta terça-feira, dia 7, e deram o recado: “Queremos a reposição dos nossos salários, já”.

Os trabalhadores estão em greve desde o dia 10 de junho e exigem reposição dos salários da categoria, congelados há nove anos. O PLC 28/2015 foi aprovado por unanimidade no Senado dia 30, e agora a presidente Dilma Rousseff (PT) tem até o dia 21 para sancionar.

E os servidores sabem que apenas a força da greve pode fazer com que a sanção aconteça. “Íamos esperar para entrar em greve para derrubar o veto, caso a presidente (Dilma Rousseff) vetasse, mas quando vimos a força da greve, decidimos voltar”, afirmam servidores da JF São Paulo.


Greve para garantir direitos

“A imprensa está dizendo que nosso reajuste é escandaloso. Escandaloso é, na verdade, ficar 10 anos sem receber um centavo de reposição salarial. A presidente da República não pode passar por cima de todo mundo e não sancionar nosso projeto. Nós não vamos permitir o veto, manteremos nossa greve e ficaremos na rua para proteger nosso direito”, afirma o diretor de base Gilberto Terra.

Os servidores fizeram se concentraram em frente ao Fórum Pedro Lessa, e caminharam pela Avenida Paulista até a Praça do Ciclista, depois voltaram no sentido contrário até o vão do Masp.

Em frente ao Escritório da presidência da República, os servidores protestaram e estouraram balões, fazendo muito barulho e soltaram fumaças coloridas para chamar atenção para a força da luta dos servidores.

“Estamos na rua para exigir o que foi prometido, não queremos reajuste, apenas reposição dos nove anos que estamos com nossos salários congelados. Quando é para a presidente dar reajuste para ela e para os deputados, não tem economia, mas quando é para os trabalhadores a resposta é ajuste fiscal. Não vamos aceitar”, ressaltou a diretora do Sindicato Inês Leal.


Greve continua

Para aumentar a luta e garantir a sanção do PLC 28, na última quinta-feira, 2, os servidores decidiram, por unanimidade, em assembleia manter a greve por tempo indeterminado até que a presidente sancione o projeto.

“Hoje, ocupamos a principal avenida do país para que a Dilma não tenha dúvida do tamanho da nossa luta. A nossa greve tem que crescer ainda mais, vamos deixar claro para Dilma que não vamos aceitar mais essa situação, não vamos pagar a conta do ajuste fiscal.

Respeite nosso direito a reposição das perdas”, declarou Inês. Estavam presentes no Grande Ato da Paulista o JT e JF São Bernardo do Campo, JF Campinas, JT Osasco, JT Cotia, JT Zona Sul, JT Guarulhos, JT Mogi das Cruzes, JT Poá, JT Jandira, JF Taubaté, JT Itapecerica da Serra, JT Ribeirão Pires, JT Mauá, JF Marília, TRE – CAPITAL, JT Barra Funda, Execuções Fiscais, TRF 3ª, JT São Vicente, JT Guarujá, JT Praia Grande, JT Cubatão, JF Santos, JT Santos, JF Presidente Prudente, JF São José do Rio Preto.

A próxima assembleia geral acontecerá na quarta-feira, dia 15, às 14h, no Fórum Trabalhista Ruy Barbosa.

http://www.sintrajud.org.br/conteudo/detalhe_noticia.php?cod=3881

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.