Governo quer condicionar avanços no diálogo de outros itens da pauta de reivindicação dos servidores a aceitação de 21,3% em 4 anos


Compartilhe esta publicação:

Um impasse tomou conta dos processos de negociação entre servidores e governo. Nesta terça-feira a Condsef participou de reunião para tratar pauta que interessa a cerca de 500 mil servidores entre ativos, aposentados e pensionistas que compõem carreiras como PGPE (Plano Geral de Cargos do Poder Executivo), CPST (Carreira da Previdência, Saúde e Trabalho, incluindo Funasa), PECFAZ (Plano de Cargos dos Administrativos Fazendários), e similares.

Lançando mão do cenário de dificuldades que a economia do país atravessa, a SRT alegou que avanços no debate sobre demandas específicas estariam condicionados a aceitação do índice de 21,3% num prazo de 4 anos, como já apresentado e rejeitado pela maioria dos servidores. Não foram confirmadas agendas de outras reuniões para tratar pautas específicas dos demais setores da base a Condsef.

A Condsef ponderou que fez um amplo debate com a categoria e que a maioria espera, ao menos, que o governo negocie índices de reajuste considerando um prazo de no máximo dois anos, abrindo a possibilidade para o debate do conjunto de outras reivindicações urgentes para a maioria dos federais. Para a maioria do Executivo, entre os temas urgentes também está o debate sobre mudança de regra na contagem de pontos considerando a média dos últimos cinco anos das gratificações de desempenho para fins de aposentadoria, benefícios, entre outros itens. O secretário da SRT, Sérgio Mendonça, se comprometeu a conversar com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, e agendar outra reunião para os próximos dias.

Intensificar mobilizações – Para a Condsef, o cenário exige que os servidores intensifiquem o processo de mobilizações se quiserem conquistar avanços e destravar o impasse que se instalou. A categoria não deve permitir que o atendimento de reivindicações urgentes fique condicionado a aceitação de uma proposta já rejeitada e extremamente prejudicial. Com o tempo limitando cada vez mais o processo de negociações, somente um intenso movimento de unidade e pressão poderá mudar essa lógica imposta pelo governo.

Nesta quarta, 22, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasef) promove um dia nacional de lutas com paralisação em todo o Brasil e marcha a Brasília. A Condsef e suas filiadas participam intensamente das atividades propostas. Até o momento, a previsão é de que pelo menos 3 mil servidores participem da marcha com caravanas de todo o Brasil. Em outros cidades também haverá mobilização e atos por avanços nos processos de negociação com o governo.

As entidades também estão pedindo audiência com o ministro Miguel Rossetto da Secretaria-Geral da Presidência da República. O objetivo é solicitar a intervenção e auxílio do ministro nos diálogos para garantir atendimento das demandas mais urgentes apresentadas pelos federais. Continua também o processo de mobilização e deflagração de uma greve a partir da próxima segunda, 27, para intensificar o processo de pressão e tentar destravar os impasses que se instalaram no diálogo com a SRT.

http://condsef.org.br/inicial/6963-2015-07-21-21-26-22

Esta publicação tem caráter meramente informativo. Todos os artigos e notícias são de responsabilidade de seus autores e fontes, conforme citados acima no link, não refletindo necessariamente a opinião deste site.

Tire suas dúvidas jurídicas com um advogado online.

Discuta este e outros assuntos de seu interesse no Fórum do Servidor Federal. Clique aqui para participar!

Clique aqui, baixe gratuitamente o aplicativo do Portal do Servidor Federal, e receba um resumo de todas as notícias no seu smartphone.